Hermenegildo Neto

E agora José?

Textos

Esta tarde há de chorar
As folhas do pé de mexerica anunciam
Que esta tarde há de chorar
Estão viradas para o céu
As águas de verão esta terra hão de molhar

Balança os galhos, o vento sem cessar
As folhas amarelas transitam
Flutuam e pairam sobre ar
É vento de chuva

O azul toma dores de cinzas
E o dia escurece
Relâmpagos e trovoadas anunciam
Que esta tarde há de chorar.

“Que estas tardes chorem
Mas as manhãs, riem-se”.



Hermenegildo
Enviado por Hermenegildo em 11/06/2020
Alterado em 11/06/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras