Hermenegildo Neto

E agora José?

Textos

Dois ‘Dedim’ de Prosa


O cheirinho do café pronto me assediava
Papo tava bom, saía até risadas
As lembranças às vezes longe
De uma cena passada engraçada

Ela perguntou quanto do café queria eu
Cá eu disse com voz minha embaçada
“O mesmo tanto de cachaça
Do dia de Rometa e Julieu”

E assim saíram gargalhadas
“Do café, dois ‘dedim’’’. Eu falava
E de todo foi assim
Mais de hora nossa prosa de dois ‘dedim’.


Essa poesia foi em especial dedicatória à uma grande amiga.
Hermenegildo
Enviado por Hermenegildo em 25/04/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras