Hermenegildo Neto

E agora José?

Textos

Wilde, A Minha Morte
Segundo Oscar Wilde, matamos aquilo que amamos
Mesmo que o amor nos faça vivos.
Mas eu sigo amando a Morte
Enquanto o desamor vive por dentro
Ainda quero vivê-lo, mesmo que eu o mate
Ainda quero amar, mesmo que eu viva morto
E que eu faleça amando, vívidamente.
Hermenegildo
Enviado por Hermenegildo em 11/04/2020
Alterado em 11/04/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras